sexta-feira, 14 de julho de 2017

MPPE cobra da Prefeitura do Recife adequações no serviço do Hospital Veterinário da capital

Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e Prefeitura do Recife se reuniram na tarde desta quinta-feira (13) para discutir o funcionamento do Hospital Veterinário do Recife, inaugurado no dia 8 de junho.

Logo de início, o MPPE apresentou aos representantes do município os principais pontos do relatório de vistoria técnica realizada pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias do Meio Ambiente (Caop Meio Ambiente) do Ministério Público. “Devido ao acúmulo de reclamações sobre o funcionamento do hospital, o MPPE enviou servidores ao local a fim de averiguar as denúncias, como falta de maquinário essencial para o funcionamento da unidade de saúde, difícil acesso através de transporte público e a falta de profissionais no hospital. A inauguração da unidade foi uma grande conquista, mas há muito que ainda deve ser feito”, relatou o promotor de Justiça de Defesa do Meio Ambiente da Capital, Ricardo Coelho.

A servidora do Caop Meio Ambiente, Maria do Rozário Malheiros, destacou os pontos que mais chamaram a atenção durante a vistoria no hospital. “Constatamos um odor forte vindo da recepção, onde ficam os animais, além do lugar não oferecer ventilação. A vacinação não estava funcionando e o bloco cirúrgico não tem impermeabilização, o raio-X estava inoperante e nos banheiros faltavam itens básicos”, detalhou.

Em seguida, o gerente-geral de Gestão da Prefeitura do Recife, João Marcelo Figueiredo, informou que a Prefeitura pretende realizar a inauguração da segunda parte dos serviços oferecidos pelo hospital, além de uma seleção simplificada para contratar mais veterinários. Sobre a acessibilidade do hospital, que se localiza no bairro do Cordeiro, ele rebateu as alegações e informou que a unidade “está situada em um lugar central do Recife, para quem vem de diversas áreas”.

O representante da Procuradoria do Município do Recife informou que as questões básicas ressaltadas na vistoria seriam resolvidas no dia a dia, mas não estipulou uma previsão para corrigir as falhas apontados pelo relatório do MPPE.

O promotor de Justiça Ricardo Coelho explicou que, caso o município não promova as adequações necessárias para o pleno funcionamento do Hospital Veterinário do Recife, diante das irregularidades apontadas na vistoria do MPPE, poderá adotar as medidas extrajudiciais e judiciais cabíveis.

Entenda o caso – inaugurado na primeira semana de junho, o Hospital Veterinário, administrado pela Prefeitura do Recife, teve problemas de atendimento relatados por vários internautas e usuários através de redes sociais, com postagens e vídeos. Em alguns casos, a população alegou não teve sua entrada permitida, tendo sido informada que o atendimento seria apenas com agendamento prévio.

Na época, a assessoria de imprensa da Secretaria Executiva de Direitos dos Animais do Recife negou a falta de atendimento e a superlotação da unidade, salientando que os animais devem ser levados por adultos em caso de emergência e informando, ainda, que o hospital funciona em horário comercial.

Nenhum comentário :

Postar um comentário